PESQUISA

14 de janeiro de 2017

MT 358 agora é Olacyr Francisco de Moraes

O projeto de lei foi apresentado por Saturnino Masson em julho de 2015 e sancionado em dezembro de 2016

Rádio Pioneira

Sua alteração se deve a proposta do deputado Saturnino Masson através de projeto de lei aprovado por unanimidade e sancionado pelo governador Pedro Taques em dezembro último.

O projeto de lei foi apresentado por Saturnino Masson em julho de 2015, passando por várias comissões e no último dia 26 de dezembro virou lei 10.479.

Para o deputado Saturnino Masson falar de Olacyr de Moraes é falar de desenvolvimento, crescimento e esta é uma justa homenagem ao maior precursor do agronegócio em Mato Grosso.

“Estamos a mais de cinquenta anos nesta região e conhecemos a sua luta desde o início no alto da Serra dos Parecis com a Itamarati Norte que revolucionou e impulsionou o agronegócio, Calcário Tangará e com a instalação da Usinas Itamarati, em Nova Olímpia”, comentou Saturnino Masson.

Durante sua carreira de empreendedor, chegou a ter mais de 40 empresas nos setores agrícolas, de construção civil e exploração de minérios.

No ano de 1973, iniciou as atividades agrícolas com a constituição da empresa Itamarati Agropecuária S.A., localizada na cidade de Ponta Porã, hoje estado do Mato Grosso do Sul, onde parte da fazenda era destinada a estudos, produção e desenvolvimento de sementes certificadas de arroz, soja, trigo, algodão, soja, feijão, girassol e sorgo.

Em 1975, no município de Diamantino (MT), a 200 km de Cuiabá, Olacyr de Moraes inaugura a empresa Itamarati Norte S/A Agropecuária, ocupando uma área de 110.000 hectares, produzindo principalmente soja, milho e algodão que abrange também os municípios de Campo Novo dos Parecis e Tangará da Serra.

Em 1979, Olacyr de Moraes diversifica ainda mais suas operações inaugurando a empresa Calcário Tangará no município de Tangará da Serra.

No ano de 1980, no Chapadão do Parecis, cidade de Nova Olímpia, a apenas 200 km da capital mato-grossense, Olacyr de Moraes construiu a empresa Usinas Itamarati S/A, proprietária de 100.000 ha de terras no estado de Mato Grosso, cultivando principalmente cana-de-açúcar em terras próprias e de terceiros. Anos depois, a Usinas Itamarati produziu sozinha acima de sete milhões de toneladas de cana que resultaram em mais de 6,3 milhões de sacos de açúcar, 211 milhões de litros de álcool anidro e 128 milhões de litros de álcool hidratado, tornando-se assim a primeira empresa no mundo em quantidade de cana esmagada por safra.

Depois Olacyr de Moraes ainda fez investimentos e empreendimentos em vários setores da economia mato-grossense, como: usinas hidrelétricas, programa de melhoramento genético do algodão brasileiro, mineração e ferrovia. A Ferronorte, umas das obras mais importantes, não só para o Mato Grosso, mas para todo o Brasil. A ferrovia visava funcionar como um importante corredor de escoamento de grãos produzidos nas regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil para o porto de Santos em São Paulo. Olacyr de Moraes amava e fez muito por Mato Grosso.

“Foi um dos maiores empreendedores deste estado. Era admirado e respeitado por todos aqueles que tiveram a oportunidade de conhecê-lo. Esta é uma singela homenagem a este grande homem e estou satisfeito de ter dado os primeiros passos para esta realidade, pois hoje Olacyr Francisco de Moraes ficará eternizado nesta grande região de Mato Grosso, finalizou Saturnino Masson.