PESQUISA

12 de dezembro de 2016

Em parceria, Rotary Clube distribui mais de 700 mudas e solta 300 balões eólicos

As ações foram realizadas na Feira do Produtor em parceria com a Usinas Itamarati

Diário da Serra – por Rosi Oliveira

O Rotary Clube Tangará da Serra Centro em parceria com a Usinas Itamarati, realizou na manhã de ontem a entrega de 700 mudas de árvores nativas e frutíferas. A ação aconteceu na Feira do Produtor, onde muitas pessoas levaram para casa uma mudas, escolhidas entre: Cajá manga, Azeitona, Pau Brasil, Carnaúba, Peroba, Angico, Tamburi, Embaúba, Cambaru, Oiti e várias outras.

O projeto aconteceu em parceria pelo segundo ano, sendo que no primeiro aconteceu a troca das mudas por garrafas pet. “O projeto é desenvolvido com a Usinas Itamarati e no ano passado a gente trocava as mudas por garrafas pet, mas como esse ano não tivemos tempo hábil para divulgar a campanha estamos fazendo a doação sem que haja a necessidade de entrega da garrafa”, informou, o diretor da Comissão de Projetos Ambientais, Itelvino Hoffmann, ressaltando a importância do clima para essa ação.

“A ideia é que o tempo agora é mais propício para isso por causa das condições de umidade, de chuvas, tanto para plantio das mudas, quanto para a soltura dos balões com sementes, porque na época da seca para plantar e regar essa muda temos problema de água. Essa é uma época mais propícia para obter resultados mais práticos, mais favoráveis”, explica.
Segundo Hoffman, esse ano a soltura de balões eólicos trouxe uma inovação.

“Esse ano fizemos uma inovação visando não desperdiçar sementes. Aquelas que têm mais dificuldade de germinação, uma casca mais dura, foi feita a quebra de dormência, para que onde elas caírem no solo possam germinar, diminuindo o risco de perdas”, complementou.

Para o Gerente de Meio ambiente da Usinas Itamarati, Caetano Henrique Grossi, projetos como esse devem ser cada vez mais implementados. “Dentro da política ambiental da Usinas Itamarati, estamos aqui mais uma vez em parceria com o Rotary, principalmente se tratando de um ano, onde aqui em Tangará a gente teve tanta dificuldade em relação ao meio ambiente, então é essencial que projetos como esse, venham a contribuir com a sociedade e com o meio ambiente, uma vez que Tangará da Serra passou por momentos difíceis”, ressalta.